Naftali

Review LG Renoir KC910q

Categoria(s): (Artigo, Review) por Naftali em 07-06-2009

Tags : , , , , , , , ,

z6a_renoirdentroApós o desprazer de ter sido assaltado em Curitiba e, por consequência, ter meu Nokia N73 levado embora, decidi que era hora de fazer um upgrade no celular. Fiquei em dúvida entre 2 aparelhos: ou eu levava Nokia N85 ou o LG Renoir KC910q. Optei pelo segundo pelo preço, a princípio. Afinal, apesar de ainda ser um bocado caro, era bem mais barato que o N85.

Diferente do aparelho da Nokia, o Renoir foca no multimídia, enquanto a Nokia, com seu Symbian, foca no smartphone. Confesso que ambos possuem características que me chamam muito a atenção, mas que não existem em um só aparelho. Infelizmente.

A princípio, o que mais anima no Renoir é seu design e a tela sensível ao toque. É bem legal usá-lo, com uma interface simples e com uma resposta boa, é fácil de se acostumar. Mas isso não é o melhor: A câmera dele impressiona.

Fotografia

08352224Com uma câmera de 8MP, lentes Schneider Kreuznach e flash xenon ele é realmente incrível. Como se não bastasse as características físicas, o software também não deixa a desejar. Aliás, esse é o primeiro celular com câmera que vejo que possui foco manual. Ótimo para quando a câmera não sabe o que você realmente quer focar.

Ele também possui detecção de sorriso, detecção de piscadas, filtro de imperfeições, foco apenas no rosto, macro, compensação de luz de fundo, ufa. A única coisa que deixa a desejar é que não é possível deixar o flash sempre ligado. Apenas automático ou desabilitado, o que na realidade não me atrapalhou muito até agora.

p03-06-09_123501

Exemplo de foto tirada com 3MP (clique para ampliar)

Multimídia

A edição que adquiri vem pré-carregada com algumas imagens e um trailer do filme “O dia em que a Terra parou”. O vídeo tocou perfeitamente, sem engasgar, e com um som ótimo. Como player de áudio ele também não deixa a desejar, sendo ele o primeiro celular a integrar a tecnologia Dolby Mobile, que muda significativamente a qualidade do som. Porém, consome mais bateria, o que já era de se esperar.

A biblioteca dele para organizar os sons não foge do que já conhecemos hoje, organização por artista, álbum, ou lista de todas músicas. Nada fora do normal.

Wi-Fi (102.11 b/g)

Aparelhos de celular com conexão wi-fi já estão deixando de ser artigo de luxo e começando a estar disponível para o público de classe média. O Wi-Fi nesse aparelho funciona muito bem em casa, com chave de criptografia WEP. Porém, não consegui conectar no Wi-Fi da empresa onde trabalho por razões que até agora não consegui descobrir. Aliás, esse é um problema chato. Quando o aparelho não consegue conectar ao Wi-Fi ele não diz se é por falta de sinal, pela chave de criptografia estar errada, ou qualquer outro motivo. Ele apenas diz que não foi possível conectar, o que atrapalha na resolução do problema.

Porém, onde consegui fazê-lo funcionar, o mesmo funcionou perfeitamente bem, sem cair ou “baleiar”. Testei usando o navegador padrão dele, o Opera Mini, o eBuddy e o Google Maps. Todos funcionaram perfeitamente bem.

GPS

Esse item me deu um pouco de dor de cabeça para fazer funcionar. A princípio, buscando em fóruns, fiquei sabendo de um boato que diz que aparelhos Renoir da Claro tiveram seus GPSs bloqueados pelo firmware, pelo fato da empresa querer usar apenas o aGPS (Assisted GPS, que usa a linha da empresa de comunicação para se comunicar com os satélites). Mas, como a empresa ainda não tinha desenvolvido o software para ser instalado nele, o mesmo estava apenas bloqueado sem a possibilidade de uso.

Isso me emputeceu e muito. Mas, ao pesquisar bastante, acabei caindo no blog da Claro, onde pessoas reclamavam disso. Mas, nas respostas, o pessoal da Claro deu uma solução que era baixar o Google Maps especial para o Renoir da Claro, que se encontra para download no site da LG (sim, isso é real, o software pode ser encontrado ao procurar “KC910q” na sessão de download de softwares, no site). Bom, resolvi testar. Afinal, era minha última alternativa antes de ir reclamar por propaganda enganosa. Funcionou.

A questão é que depois que baixei a versão especial do Google Maps e rodei, o GPS começou a funcionar até mesmo para a aplicação Jogging Buddy (ela calcula quanto você andou e quanto deve ter perdido em calorias com sua caminhada) que nunca tinha funcionado. Agora não sei se o software deu um “pega no tranco” no GPS do Renoir, ou se eu estava apenas com algum problema de sinal. Vai saber.

De qualquer forma, estou feliz agora que o mesmo está funcionando perfeitamente bem. Então, a partir desse momento, não tenho mais do que reclamar.

Edit: Como a LG mudou o site e não disponibiliza mais a versão do Google Maps supracitada, disponibilizo-o aqui.

Aplicações

Esse item é o que me deixa com saudade do meu aparelho da Nokia com Symbian. Apesar de ser possível instalar aplicações Java para o Renoir, sinto falta de aplicações para Symbian como o Gravity, o Fring, o Opera Mobile e o Emulador de Gameboy Advance. Mas estou conseguindo viver sem eles.

Aplicações Java como Opera Mini e o eBuddy estão fazendo bem o serviço (apesar de o eBuddy não se conectar com o Skype).

Interface

Tela sensível ao toque já não é mais novidade hoje em dia, tendo que em vista que até o HiPhone possui. A diferença está em como essa interface foi implementada.  É difícil dizer que o Renoir pode ser comparado ao iPhone, porque não é tão perfeito, mas não deixa de ser ótimo. O som e a vibração do celular ao apertar um botão dão a sensação de que o sistema responde perfeitamente, e é possível “sentir” que o botão foi realmente apertado. Isso é importante.

Ele também possui acelerômetro, o que ajuda mais ainda na interface. Como no iPhone, ao mudar o celular de posição o sistema reconhece. No Renoir, ao enviar mensagens, o teclado muda do padrão que conhecemos em celulares comum para o QWERTY. Fica a critério do usuário escolher o que melhor lhe convém. Quando em modo QWERTY o teclado fica com botões pequenos, o que atrapalha se você tiver dedos grandes, mas é uma ótima pedida para quem gosta de usar a caneta que vem junto com o aparelho.

Aliás, acredito que teria sido melhor se a LG tivesse seguido a tendência e criado um lugar para deixar a caneta “dentro” do celular, como no Nintendo DS, ou até mesmo em celulares Xing Ling. A ideia de deixar a caneta pendurada nele como um chaveiro não me é muito convidativa. Por isso eu deixo de usá-la para ficar apenas com os dedos mesmo.

Bateria

Até onde pude testar, quando o celular está em uso constante, a bateria não dura 1 dia. Porém, se deixar ele sossegado no canto, a bateria pode durar até 4 dias. É bem aceitável tendo em vista a carga de serviços que ele possui.

Outras características

Acredito que o mais divertido do Renoir é filmar cenas em câmera lenta. Nunca tinha visto tal funcionalidade, mas achei bem legal, tanto que já filmei inúmeras cenas em câmera lenta só para ver como fica. É hilário. Abaixo é possível visualizar a cena de uma moeda girando em cima da mesa que filmei.

O mesmo também vem equipado com um MicroSD de 2GB, que pode ser expandido até 16. Bem interessante, pois o Nokia N85 tem 8GB, mas não pode ser expandido. E também possui uma câmera VGA frontal para vídeo chamadas. Bem interessante para quem tem plano 3G.

Na tela inicial é possível inserir diferentes widgets, de acordo com o gosto do usuário, em diferentes posições. É ótimo para ter um acesso rápido às funcionalidades que o usuário mais usa no telefone.

Conclusão

Apesar de não poder ser considerado um smartphone, o Renoir não deixa de brilhar com suas aplicações multimídia. É uma ótima pedida para quem procura um celular com uma boa interface, boa câmera e bom áudio, mas não liga para instalar inúmeras aplicações e trabalhar com o aparelho.

Comentários:

Postar um comentário